Marketplace: Conceitos, como implantar e casos de sucesso

Já pensou em ter um Marketplace próprio? Saiba que isso é 100% viável, com custo acessível e muita tecnologia inovadora em soluções que permitem você colocar no ar sua plataforma em apenas 30 dias.

Incluindo métodos de pagamento com segurança, split de pagamento, modelos (templates) para anunciar produtos e serviços, geolocalização e muito mais que a tecnologia pode proporcionar em tempos de
transformação digital.

Criamos esse manual com tudo que você precisa saber para colocar em prática aquela sua ideia guardada
na gaveta de um Marketplace, principalmente se for de nicho, forte tendência seja no modelo B2B, B2C ou C2C.

Embarque conosco nessa jornada de novas oportunidades para expandir seus negócios e ainda inovar!

O que é um Marketplace?

Responsável pelo faturamento de R$ 73,2 bilhões em 2020 no comércio eletrônico, o Marketplace é o
segmento mais promissor do mercado brasileiro atualmente. Com
148,6 milhões de pedidos, seu crescimento foi de 38% com relação a 2019
. O ticket médio dos
Marketplaces também se mantém alto, em torno de R$ 493, o que significa um aumento de 10% em relação
a 2019, segundo a Ebit/Nielsen.

O termo Marketplace refere-se a ambientes online onde empresas oferecem produtos e serviços aos
consumidores. Nessas plataformas, os consumidores buscam produtos e serviços, comparam preços e
realizam suas compras, muitas vezes, baseado nas avaliações de outros compradores. Já as empresas,
oferecem produtos e serviços diretamente aos consumidores ou outras empresas, sem intermediários.

Os Marketplaces surgiram da necessidade das empresas de encontrarem novas formas de vender seus
produtos e serviços. O rápido crescimento é um dos legados da pandemia, com o aumento do número de
consumidores que passaram a comprar produtos e serviços pela internet.

Quando os compradores visitam um Marketplace, encontram uma ampla seleção de produtos de diferentes
vendedores e não precisam visitar vários sites para encontrar o
que procuram. Além disso, o fato de os vendedores estarem concorrendo entre si, em geral, significa
que os preços tendem a ser mais competitivos.

Qual a diferença entre Marketplace e loja virtual?

Ambos os termos se referem a sites na internet onde é
possível comprar produtos, mas há uma diferença significativa. Enquanto as lojas virtuais vendem
produtos de um fornecedor, os Marketplaces oferecem produtos e serviços de diversas pessoas físicas
ou jurídicas, onde o consumidor tem mais opções de escolha e pode comparar preços com facilidade. Os
Marketplaces costumam ser mais baratos do que as lojas virtuais, porque não precisam investir em
estoque.

É como um shopping online, onde há vários vendedores ou empresas oferecendo seus produtos ou serviços
na plataforma. Normalmente, o proprietário do Marketplace cobra uma comissão sobre as vendas.

A loja virtual é apenas um site na internet, onde o dono da loja é responsável por toda a operação,
incluindo estoque, entrega e atendimento ao cliente.

É importante entender também que existem três formas de acesso a essas plataformas de vendas.
Primeiro temos o administrador do Marketplace (que pode ser o proprietário ou o gestor), que tem
total controle sobre todos os vendedores e transações. A seguir estão os vendedores e/ou
profissionais que estão ofertando algo e possuem acesso privilegiado, onde podem cadastrar seus
produtos ou serviços. Por fim, os clientes que podem acessar a plataforma para fazer as compras e/ou
contratar serviços.

Quais são as vantagens de um Marketplace?

Os Marketplaces estão se tornando cada vez mais populares, especialmente entre os consumidores que
buscam economizar tempo e dinheiro. Esse é um modelo de negócio inovador, onde os vendedores ganham
visibilidade no mercado e conquistam novos consumidores.

Todos saem ganhando com a participação em um Marketplace! Destacamos algumas das principais
vantagens:

Acesso a novos mercados: os Marketplaces permitem que as empresas vendam seus
produtos e serviços para consumidores de todo o mundo, independente da nacionalidade;

Maior visibilidade: são ambientes online de grande visibilidade, com maior chance
de aparecer nas buscas virtuais;

Aumento nas vendas: os Marketplaces expandem as possibilidades de vendas de
produtos e serviços para um grande número de pessoas;

Mais segurança: as empresas que vendem seus produtos e serviços nessas plataformas
são regulamentadas e de confiança, seguindo todos os protocolos de segurança nos meios de pagamento,
na entrega dos itens e também nas devoluções;

Comparação de preços: permite que os consumidores encontrem os produtos e serviços
mais baratos ou em oferta em um único lugar, sem precisar gastar horas navegando e realizando buscas
na internet;

Avaliações dos usuários: os Marketplaces oferecem avaliações dos consumidores
sobre produtos e serviços, uma excelente ferramenta de vendas, porque ajuda os clientes nas melhores
decisões de compra com transparência.

Tipos de Marketplace

O crescimento das compras online trouxe também o aumento da demanda dos compradores pela
customização. Assim, surgiram diferentes tipos de Marketplaces para as negociações: B2C, B2B e C2C.

Ao optar pelo modelo que você quer montar, tenha em mente que ele deve ser capaz de se conectar
perfeitamente com a demanda dos compradores, com a força de trabalho (sua, dos vendedores e dos
fornecedores) e com os parceiros e afiliados por meio de dados. Além de fornecer insights
​​em tempo real para ações ágeis, que resultarão em mais vendas.
Entenda cada modelo como funciona:

  • Marketplace B2C – voltado
    ao consumidor final, onde os compradores podem adquirir produtos e serviços de empresas
    cadastradas na plataforma
  • Marketplace B2B
    atende às empresas, que podem comprar ou vender produtos e serviços de outras empresas;

Marketplace C2C – processa as transações de consumidores para outros consumidores, sem
intermediários.

Exemplos de Marketplace

Agora que você já entendeu os modelos dessas plataformas, vamos conhecer como é possível ampliar seus
negócios com os Marketplaces de nichos, criados pela Add Suite para
necessidades específicas de compradores e vendedores.

Marketplace de Autopeças https://loja.pitstop.com.br/

Vários varejistas se uniram para construir um Marketplace de nicho voltado ao mercado de autopeças no
modelo B2C. A grande sacada
aqui é justamente prover comodidade aos clientes dos mecânicos, seja de carros leves/urbanos,
caminhões, máquinas agrícolas ou ônibus. O portal trabalha com o estoque da loja vinculado aos
distribuidores.

O mecânico, previamente cadastrado, realiza o orçamento das peças e inseri na plataforma, que tem
vários fornecedores de autopeças. O cliente, por sua vez, entra e verifica o que foi selecionado
pelo seu mecânico e realiza a compra, de diferentes fornecedores, que será entregue no endereço
cadastrado pelo mecânico. Tudo de forma simplificada e sem stress com pesquisa e busca de peças para
o carro que está em conserto;

Marketplace de Food Service www.onfood.com.br

Oito distribuidores especializados se associaram para criar a plataforma com o propósito
de melhorar a vida de quem trabalha neste mercado. Hoje atende 17 estados e 2100
municípios, com um portfólio de 15 mil produtos. O Marktplace tem 15 lojas, 14 centros de
distribuição e 758 vendedores atendendo 14 mil pedidos diariamente. O grande diferencial é a
redução de custo de quem trabalha no setor alimentício, comprando diretamente dos
distribuidores. Uma
plataforma digital B2B para repor o estoque a
qualquer hora, em qualquer lugar, de forma fácil, rápida e segura.

Marketplace Second Hand www.new4another.com.br

No modelo C2C, usa (entre outros recursos tecnológicos) a geolocalização para unir quem quer vender
produtos usados com quem quer comprar. Os vendedores (sellers) do Marketplace, em geral pessoa
física, vendem roupas, bolsas, calçados, joias, artigos para festa, acessórios e itens infantis.

Marketplace para Endividados www.paguecomprando.com.br

Além de encontrar os melhores produtos e ofertas, os endividados geram pontos que serão revertidos em
desconto para a quitação de dívidas, via B2C. O objetivo é a
regularização do cliente, além de estimular a economia por meio de 17 categorias de produtos e
serviços, com o apoio de um call center ativo, com mais de 600 posições de televendas.

Marketplace para Pintores www.edacasa.com.br

Através da combinação de tecnologias, esse B2C conecta pintores,
indústrias fornecedoras de produtos para construção e decoração diretamente ao consumidor. O foco é
que o processo de reforma deixe de ser algo complexo, onde os compradores podem adquirir, de forma
centralizada, tudo que seu fornecedor (pintores, decoradores, encanadores, pedreiros, entre outros),
precisará para a obra. Com a conveniência de ter a lista online (com todas as medidas e
especificações) e pagar tudo com segurança.

Marketplace de Proteína Animal www.mercadodaproteina.com.br

Plataforma digital B2B de
negócios de proteína, que oferece ao comprador limite de crédito, cotações, negociações diretamente
com frigoríficos do Brasil inteiro e entrega no estabelecimento do comprador. Para os fornecedores,
disponibiliza templates/modelos para o cadastro dos produtos de forma organizada e padronizada,
recebimento de propostas, negociações 100% online, recebimento dos pagamentos e até antecipação de
recebíveis

Vender em um Marketplace é diferente de ter um Marketplace 

Quando você é dono do seu próprio Marketplace, você está no comando da situação. Quando vende em um
Marketplace, está competindo com outros vendedores para obter a atenção dos compradores. O lado
positivo é que você, como seller, sem qualquer investimento, passa a ter uma estrutura tecnológica a
seu dispor: meios de pagamento (o que inclui parcelamento com cálculo automático de juros) e
templates (exemplos prontos para usar) para expor os produtos e serviços de forma organizada e
atrativa para o cliente final, seja pessoa física ou jurídica.

Como ser o DONO de um Marketplace

Se você está pensando em montar um Marketplace, é preciso definir antes vários aspectos cruciais da
sua estratégia. Entre eles, o modelo de negócios (que envolve a receita, o público-alvo e a proposta
de valor) e o tipo de plataforma que será usada: contratar um programador para desenvolver do zero
ou optar por uma plataforma customizável. Ambos os caminhos têm vantagens e desvantagens, então é
importante avaliar bem qual é a melhor solução para seu negócio.

Outro fator crucial é a qualidade do suporte e do atendimento oferecido pela empresa contratada, além
do grau de personalização e customização da plataforma para atender às necessidades específicas do
seu negócio. A empresa responsável pelo suporte e atendimento aos usuários do seu Marketplace deve
ter um profundo conhecimento das funcionalidades da plataforma e estar preparada para resolver todos
os problemas que possam surgir. Então, pesquise bem antes de tomar uma decisão!

Tenha especial atenção ao item checkout e pagamentos, independentemente se for construir do zero ou
adotar uma plataforma customizável. Isso é de vital importância porque abrange desde a classificação
de itens, impostos e taxas específicos da região até uma infinidade de regulamentos de conformidades
bancárias e de legislação.

Acertar todos os custos no momento da finalização da compra tem impacto direto na experiência do
cliente e no risco da venda. Aderir a um parceiro tecnológico que atenda a essas demandas é
fundamental, inclusive com a preocupação das compras via mobile, que dominam o mercado.

Modelos de receita: comissão e por leads gerados

A comissão é paga ao vendedor em função do volume de vendas realizadas. Ou seja, quanto mais produtos
ou serviços são vendidos, maior será a comissão recebida pelo vendedor. Cada Marketplace cobra a
comissão que melhor atenda seus custos. Em geral o valor fica entre 10% e 20% nas transações de
produtos. E entre 15% e 25% quando envolve serviços.

Já o pagamento por leads gerados é feito ao profissional que consegue angariar novos clientes para a
empresa, com um pagamento fixo e pré-determinado, independentemente do volume de vendas realizadas,
porque aqui o que vale é a quantidade de clientes que converteram em vendas.

7 pontos importantes para o sucesso do seu Marketplace

Separamos tópicos essências que você pode usar em seu discurso de vendas para os vendedores do
Marketplace (os sellers):

Experiência do cliente:

A experiência de compra tem que ser intuitiva, rápida e que prenda a atenção do consumidor desde o
início até o fechamento do carrinho de compras com a conclusão do pagamento. Qualquer demora, falha
ou pane no sistema faz com que ele desista e procure por um concorrente capacitado. Os compradores
estão, cada vez mais, exigentes e não toleram erros durante o processo de compra. Por isso, é
fundamental oferecer uma experiência excelente para garantir a satisfação do cliente e a
fidelização;

Aquisição e relacionamento com Sellers:

Um funil de sucesso do vendedor do Marketplace é semelhante aos funis de marketing e vendas e é um
ótimo recurso, porque é um conjunto de etapas para atrair, integrar e reter os vendedores para o seu
mercado. O objetivo desse funil é atrair não apenas os melhores vendedores, mas também os itens
mais vendidos no mercado onde seu Marketplace atua. Por exemplo, a Amazon atualmente tem mais de 5 milhões
de vendedores
 espalhadas pelo mundo, mas apenas 50
mil vendedores ultrapassaram US$ 500 mil em vendas anuais e cerca de 200 mil ultrapassaram
US$ 100 mil anualmente
. Isso representa 5% dos vendedores gerando 31,8% da
receita. São esses vendedores que você deve ter no seu Marketplace;

Participação de vendedores afiliados:

A venda por afiliados é um modelo de negócio que tem se tornado popular nos últimos anos.
Basicamente, consiste em você vender produtos ou serviços de outras pessoas através de um site, blog próprio ou nas
redes sociais. O afiliado recebe um valor de acordo com as indicações online, feita através de um
link personalizado. A vantagem é que você expande seus canais de venda de forma rápida e
exponencial, sem precisar fazer investimentos em marketing ou contratações;

Curadoria dos produtos:

Fazer a verificação e gestão dos conteúdos e das imagens é fundamental, revisando se as descrições
estão corretas e têm correlação com as imagens inseridas pelos vendedores da plataforma. Essa
curadoria proporcionará ao comprador uma experiência adequada e, consequentemente, aumento da
possibilidade de voltar a comprar.

Recomende que seus vendedores incluam na descrição guias e manuais de uso. Eles são essenciais para
garantir que o comprador se sinta seguro na hora de escolher um produto e saiba como utilizá-lo da
melhor maneira possível. Esses materiais ajudam a converter e contribuem para que o comprador se
mantenha satisfeito com a aquisição, tornando mais provável uma nova compra futura.

Criar áreas temáticas é outro recurso bem-sucedido. Isso ajuda os compradores no melhor entendimento
dos produtos à venda e, consequentemente, aumenta as chances de comprar ou adquirir mais itens do
que pretendia inicialmente. Essa estratégia é uma boa forma de dar visibilidade a produtos com pouco
potencial de vendas, associando-o a outros itens com maior demanda. Então, invista em áreas
temáticas no Marketplace e veja os resultados;

Gestão de comissões e Split de Pagamento:

Quanto mais automação, mais fácil será a gestão do seu negócio. A gestão de comissões é uma operação
simples. No entanto, requer cuidados para que os repasses sejam efetuados de forma adequada,
obedecendo ao fluxo natural do processo, que é o de identificar o vendedor responsável e assegurar
que todas as etapas sejam de fato cumpridas.

Já o split payment é uma ferramenta que facilita o repasse dos valores para os vendedores e para o
administrador da plataforma, melhorando a gestão financeira e contribuindo para vendas mais rápidas
e transparentes. Isso é essencial para quem busca segurança nas operações, porque permite ter um
modelo de negócios ágil e escalável, que automatiza os repasses financeiros.

Por exemplo: quando o comprador adquire produtos ou serviços de diferentes vendedores dentro do
Marketplace, ele pode efetuar apenas um pagamento. Automaticamente, o split repassa o valor adequado
para cada vendedor e as comissões corretas para o dono do Marketplace;

Gestão Promocional para incentivar vendas:

A palavra FREE tem o poder de chamar a atenção das pessoas. Ofereça, eventualmente, algo
gratuito para incentivar as vendas. Também é uma ótima estratégia oferecer descontos, cupons ou
venda por volume.

É importante ainda ter uma comunicação clara e sistemática com os vendedores referente às datas
‘quentes’ como: dia das mães, dia dos namorados, dia das crianças e Natal, com o objetivo de
aumentar as vendas;

SEO e mecanismos de pesquisa:

Os Marketplaces são capazes de fornecer, continuamente, uma experiência de descoberta organizada e
inteligente toda vez que os clientes fazem buscas na internet ou retornam à plataforma. Isso é feito
por meio de algoritmos e aprendizado de máquina baseado no histórico e preferências de pesquisas
anteriores;

Inteligência
analítica
:

Automatizar todas as operações back-end permitirá a evolução do seu negócio no ritmo do mercado. Por
isso, receber relatórios analíticos dos comportamentos dos compradores, dos horários de pico de
vendas de cada item e muitos outros dados referentes ao seu negócio são essenciais no mundo digital
para o sucesso contínuo do seu negócio.

Os Marketplaces vão ocupar o espaço de muitos e-commerces

A resposta é: existe uma grande tendência que isso ocorra. Porque o Marketplace oferece uma
experiência diferenciada ao usuário que, além de comprar produtos, encontra serviços e soluções
variadas, tem acesso a muitos fornecedores em um único lugar, com acesso a crédito, vários meios de
pagamento e a garantia de reembolso e devolução do item, caso seja necessário.